Por que os mais pobres não se revoltam?

Alienação 001

Depois de um tempo observando, percebo que as revoltas pelo Brasil estão sendo feitas apenas pela classe média. Tá explicado, já que a classe média busca por informação, e tem estudo de um pouco mais de qualidade do que a classe baixa. Mas, pelo menos pessoalmente, essa não é bem uma resposta clara e óbvia. É muito além. Vou tentar colocar tudo aqui pra vocês pensarem:

A classe média no governo petista está sofrendo muito, fato. Mas a classe baixa (em português claro, os pobres) sofre muito mais, e sofre há mais tempo. O lógico e coerente era que essas revoltas estivessem sendo feitas pelas duas classes. Mas não é isso o que acontece! Nossos pobres vivem aparecendo na TV reclamando, mas nunca levantam uma poeira de revolta! Por quê?

É conformismo/preguiça?

Aqui em Manaus, eu soube que somente a classe média continuou a fazer os protestos manauaras. Aqui no bairro onde moro, pobre, o conformismo persiste. Mas como, se o feijão de 7 reais que o bacana compra é o mesmo que o pobre compra? E pro pobre sai mais caro, pois recebe menos salário! Como?

Eu pensei em conversar com a vizinhança (parte dela me hostiliza! Estes eu nem vou bater a porta! KKK…) para ver se eu consigo acordar esse polvo, fazer eles se cansarem do próprio conformismo, fazer eles se valorizarem mais como gente e lutarem pelos seus direitos… quem sabe eles só não estão esperando que um “grande estrategista” surja do “vale escuro” para guiá-los para a batalha?

Mas quando fiz a minha primeira tentativa, a pessoa deu essa resposta:

“Ah, esquece o Brasil… a gente vive num mundo capitalista: é cada um por si, é cada um que tem que fazer sua melhora acontecer… Brasil nunca vai mudar: quem vai mudar o Brasil é deus!”

Primeiro, a pessoa aceita a coisa errada do capitalismo, e aceita o egocentrismo, como a desculpa do “é assim mesmo”! Eu já contestei várias vezes sobre esse negócio do “é assim mesmo”, de aceitar o errado como natural, porque interpleta como obrigatório ou divino — a desculpa de “se é divino, não pode contestar”. O nome disso é CONFORMISMO!

Continuando, eu perguntei: E porquê deus não melhora?

“Aah… eu sei que ele vai melhorar!”

“Mas já se passaram tantos anos e não melhorou até hoje!” A pessoa pensou por uns instantes, mas respondeu mesmo assim:

“Aah… mas eu sei que ele vai melhorar! Um dia ele vai mudar tudo isso! Ele vai melhorar no tempo dele!”

Preferem esperar que deus (se ele existir) faça por eles! Primeiro, é um conformismo escroto assustador, porque passa geração a geração, as pessoas morrem frustadas sem ver deus fazer nada, e mesmo assim preferem esperar ETERNAMENTE do que começarem a mexer a bunda. Segundo, nem mesmo os crentes podem provar que deus existe para salvar o Brasil, mas mesmo que ele exista, o que se vê é que ele vê seu próprio povo clamar por ele e ele não faz nada! Terceiro, o brasileiro é muito folgado: quer jogar pra deus um dever civil que é DELE, de votar direito, ir pra rua, exigir do político?

Me lembro de um quadrinho do Smilinguido no caderno da minha irmã, em que o Smilinguido fazia uma oração pedindo pra deus que faça ele passar na prova de matemática. Em resposta, deus fez um livro didádico de matemática caír do céu e falou: “primeiro estude, que depois eu faço o resto”! Se até os crentes dos autores do Smilinguido criticam esses crentes que jogam tudo nas costas de deus e nada fazem por onde, eu não preciso dizer mais nada!

Isso se chama PREGUIÇA! Eu não quero me portar igual à esses riquinhos que jogam a culpa na vítima, mas é muita preguiça! É como meu pai me dizia: pobre gosta de dançar carnaval na chuva, mas reclama em trabalhar debaixo da mesma chuva! Até a crente da Ana Paula Valadão falou uma coisa sensata no DVD 9 dela (Canção do Amor, 2008): o povo tem apetite pra ver novela, mas não tem apetite para ler a palavra de deus (tipo, amar o próximo)!

Sendo esse o motivo, isso significa que o brasileiro ainda é Macunaima [1] [2] (ou Flávio, o macunaíma 2.0!)! Isso é péssimo, irritante, chato, brochante, é errado e não há sequer previsão de conserto! Por isso que eu tenho muita raiva quando o polvo pobre aparece em programa de futuro vereador/deputado reclamando que “ninguém faz nada pela gente” e pedindo pros políticos “olharem por nós com carinho”! Jeová me perdoe, mas eu tenho vontade de dar um soco em quem fala isso, contudo eu tenho legitimidade pra sentir isso! Absurdo você querer (e esperar) que um malvado fique bonzinho (isso é criancice), absurdo você ficar esperando que uma estrela do céu caia encima da cabeça do político!

Ou é burrice?

O povo manauara é por 40 anos educado pela péssima educação pública de Gilberto Mestrinho pra cima. Eu estudei em colégio público nos anos 90 e 10 (deste século) e eu mesmo via que as coisas passadas na escola na 1ª e 2ª série eram pobres e repetitivas, resumia-se em fazer contas e copiar textos (pra quê copiar tanto texto? era o que eu me perguntava quando fazia a 3ª série). Tinha assunto na 5ª, 6ª e 7ª série que, em colégios pagos, já eram ensinados no primário! E contando pelo fato de que muitos desistem da escola quando chegam à adolescência (eu já estudei numa escola que tinha um monte de salas de 5ª série, dois de 6ª, e apenas uma sala da 7ª e 8ª!), tá muito explicado! A desistência pelo adolescente é porque ele se vê “perdendo tempo” num colégio chato aonde não se vê as coisas que ele vai precisar para sua própria intelectualidade e pro mercado de trabalho. São duas coisas: desinteresse e defasagem no conteúdo escolar. Se havia isso há 10 anos atrás, imagina hoje, aonde você se surpreende que não basta completar ensino médio: você tem que se entupir de “cursos”! É pra encher mesmo o saco!

E o mais importante: escola pública nenhuma ensina a você raciocinar, analizar, concluir, desenvolver senso crítico! Pra isso acontecer, depende muito do professor que está na sala de aula: por isso que eu sou contra que qualquer idiota tenha diploma de professor! Ser um professor de verdade não é você só enfiar informação goela abaixo do aluno: tem que fazer o aluno questionar o porquê, ver o porquê, mostrar o SENTIDO do que é aquela informação! Não adianta você dizer que 1+1=2 se o aluno não COMPREENDER PORQUÊ o 1+1 é 2! Não basta contratar professores: tem que ser professor de verdade, quem tenha aquela vocação de professor!

Outra coisa: também não adianta um professor de verdade na sala de aula se o aluno não prestar atenção nele! Esse é o grande erro do governo para com os professores, achando que eles têm que ser super-homens para mudarem tudo sozinhos como grandes estrategistas! Não é aí! O professor tem que ter AUTORIDADE na sala de aula, mandar o aluno que conversar no meio da aula CALAR A BOCA e prestar atenção! Isso se chama DISCIPLINA, coisa que os peidagogos e o governo detestam e querem taxar de “coitadinho ao aluninho”, repressão ou outros coidatismos! Não quer aprender? Não vá à escola! Mas depois não venha reclamar mais tarde que “não fazem nada pela gente” e pedir do governo bolsa-esmola!

Também tem a tarefa da erradicação do bullying na escola, que acontece justamente por essa tirada de autoridade ao professor e ao coitadismo com o aluno que não vem pra escola pra estudar.

Agora como vamos passar a botar professores de verdades nas escolas, e recolocar a autoridade do professor, se o nosso povão tá tão burro, se dizem satisfeitos com essa educação péssima e querem mais é fazer das escolas uma creche para jogar neles a responsabilidade de educar (no sentido apenas de fazê-lo ser “comportado”) e aturar, já que esse povão adora fazer filho (prefere gastar em cerveja do que em preservativo), mas tem preguiça de criar!?

Ou é alienação?

Eu vejo o pobre manauara um ser humano incapaz de pensar, mesmo que nossa Constituição acredite que todos são dotados de razão e consciência. É um sujeito que não quer saber de política, de informação, mas adora diversão (futebol e novela). A diversão chega a ser a coisa mais importante de tudo, inclusive do seu bem-estar social! Vive alcoolizado, trata os outros com ignorância, trata mulher como “coisa”, age como um selvagem, anda de péssima aparência sem se importar, trata as coisas erradas como natural e/ou divino — exatamente assim a pessoa descrita acima!

Eu não consigo verdadeiramente entender uma mente alienada. Talvez porque o meu gênio é extremamente forte (herdei do meu pai). Se toda pessoa é um ser inteligente em potencial, porque existe tanto alienado no Brasil? Ou estamos errados, e existe burros e inteligentes? Eu tive o luxo de um pai professor e intelectual, mas e quem não teve? Como fica?

Mas não adianta saber da causa, sem tornar a saber sua cura! Diante disso, a pergunta: como se desfaz uma alienação!? Para o povão, qualquer palavra que eu diga é automaticamente repudiada, além de eu ser vaiado e chamado de “louca” e mais daqueles “elogios” costumeiros! Como se faz então?

…ou é mal-caratismo!?

Preferir gastar em cerveja do que em preservativo… Quer jogar o filho na escola para se desfazer do trabalho de criá-los… Prefere bater do que educar, porque dá menos trabalho… Prefere deixar “nas mãos de deus” do que mexer a bunda… É macunaíma, tem preguiça até de pensar, tem apetite pra cerveja, futebol e novela, mas não tem apetite pra conhecimento, informação e política… como é que fica o caráter de uma pessoa assim!? É digna de ser chamada de ser humano!? É digna de reclamar por direitos, se não quer saber de deveres!?

Meu pai chamava isso de marginal, e eu chamo o mesmo! Uma pessoa assim me xinga na rua, me estupraria se tivesse chance: como eu vou ter pena ou tentar encontrar uma humanidade numa criatura assim? Isso é que é emblemático! Eu não vejo razão pra falta de educação e alienação ser desculpa pra ser mal-caráter! Caráter vem de você. Eu sei que alienação reprime presonalidade, mas vejo um baita coitadismo achar que, como um ser pensante, o ser humano se desculpe em deixar de agir como humano porque ouve toda porcaria que a Globo ensinar. Cadê nosso discenimento que reza a Constituição? É muito confuso!

A pergunta continua sem resposta, mas a discursão está aberta! O que você conclui? Dê o seu pitaco! O que não pode é nós morrermos e o Brasil continuar a ter uma nação de marginalizados sem solução para o resto dos tempos! Era para esse pessoal tar nas ruas protestando pro Brasil mudar de vez. Mas se continuar assim, apenas a classe média vai ser o responsável pelas mudanças, e ela quem vai ditar como serão as regras a partir em diante! Meu medo é que até onde eu sei (não sei se mudou agora com essas manifestações intituladas apartidárias) muitos “classes-medianos” são neo-capitalistas: pode acontecer do Brasil voltar a ser o mesmo Brasil de FHC, do egocentrismo extremo, da privatização geral e da Região Norte tratada como lixo. Os pobres vão parar de ganhar dinheiro sem educação, mas eles não terão acesso a uma educação descente! Daí não adianta chorar pedindo a volta do PT!

Anúncios

Publicado em sábado, 6 julho 2013, em Conformismo, Manaus - Amazonas, Política, Sociedade brasileira e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Mas gente, a quem interessa reduzir a pobreza? se o proprio pobre não quer sair dela e pra ele tudo ta bom , Deus quer assim…, eu sou baiana e vejo isso também aqui na minha terra, a impressão é que parece que as pessoas até gostam de sofrer, eu não tive ainda chances de fazer faculdade mas tenho em meus planos ir embora do Brasil, sempre quis isso pois desde criança sempre fui apaixonada por idiomas, e desde adolescente apenas conheci meia duzia de pessoas que tinham os mesmos gostos, ja que pra maioria o meu hobby era ridicularizado, viver num lugar onde cultura e educação é vista como besteira me deixa depressiva. Eu me sinto como se não fizesse parte da minha propria cultura e do meu proprio povo, é dificil ser “um peixe fora dágua“. Mas o que podemos fazer é ainda tentar por um pouco de juizo na cabeça da maioria dos brasileiros.

  2. Texto muito bom. Infelizmente essa realidade transcende o povo manauara. Isso é o Brasil de “cabo a rabo”. Aqui em SP é igualzinho. O pobre daqui também não gosta de falar de política.
    Quando começo a falar da situação do país com meus pais, minha mãe me deixa falando sozinha ou me interrompe pra falar que a novela das nove está muito boa e começa a narrar o capítulo do dia anterior. E ainda fica me recomendando assistir programas de auditório com seus respectivos apresentadores favoritos: Eliana, Rodrigo Faro, Gugu, etc…Minha mãe… ainda dou um desconto pois já é idosa, não teve oportunidade de estudar (não é desculpa mas relevo) mas alguns primos e amigos…já me taxam de mala ou nerd se comento algo “produtivo” que não seja piada, futebol, sexo, novela, fofoca e afins. É decepcionante.

  3. Rapaz, às vezes me pergunto por que demorei tanto a encontrar este blog. Sempre me achei um “ET”, até encontrar alguém que também PENSA! Que vê através do vidro embaçado das coisas. Preciso dizer que adorei a comparação do comportamento das pessoas com Macunaíma, não poderia ilustrar melhor. Além de outra coisa, este post me lembrou algo que vi semana passada. Quando eu tava voltando de viagem, passei por uma estrada onde, tipicamente, havia aqueles casarões incríveis circundando o caminho e, logo atrás deles, uma enorme favela. Achei uma coisa merecedora de destaque e que caia como uma luva no teu texto: uma nas casas mais humildes, na favela quase escondida, só no reboco, com rachaduras e uma colunas visivelmente prestes a cair, havia algo: a casa, apesar de seu estado decadente, estava totalmente enfeitada para a Copa. Bandeirolas em verde e amarelo, cartazes, uma bandeira gigante pendurada no muro pra que ficasse de frente pra rua… Fiquei observando aquilo enquanto o sinal não abria. Quer dizer… que paradoxo triste. O cara provavelmente mal pode comer ali, mal vive, mora numa “toca” destruída numa área de risco, assalariado sabe-se-lá com quantos filhos… mas de que isso importa pra ele??? Nada! Afinal, “a Copa vem aí, vamos comemorar, moçada!!”. Fiquei imaginando os possíveis moradores daquela casa dizendo isso com seus copinhos de cerveja nas mãos, gritando gol enquanto a goteira na sala aumentava, enquanto o filho continuava sem professor na escola e enquanto o salário dos pais tinha de ser separado pra decidir quais contas atrasar e quais contas pagar, já que os impostos do país caem como uma bigorna sobre o tamanho dos salários. Estas mesmas pessoas comemorando um jogo da Seleção. Essas mesmas pessoas batendo palma pro “Brasil” enquanto passam fome no “Berço Esplêndido” do mesmo. Eu quis fotografar aquela casa, mas estava despreparada. A propósito, calhou perfeitamente a frase “preferir gastar em cerveja do que em preservativo”, afinal, filhos hoje parecem ser vistos como mero material. É “natural” fazê-los e largar por aí.

    • Refrão da música “Deus é Brasileiro” do Terra Samba:

      “Entre outras coisas

      que eu quero saber

      por favor me ensina

      Como esse povo que sofre
      com fome, que passa mal

      vai batucar na panela vazia e fazer carnaval

      Ôôô, ai meu deus

      eu só quero entender!”

      [http://www.youtube.com/watch?v=qt_g02-Io_o]

Deixe seu comentário aqui. Mas ATENÇÂO: não insira nenhum link no seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: