Blogueiros e internautas desqualificam quem protestou contra José Melo

mestre-dos-magosNunca antes vi coisa parecida acontecer na política amazonense na situação de cassação de mandato do governador José Melo. Primeiro em ser o primeiro governador do Amazonas cassado por compra de votos,coisa que todo amazonense sabia, até mesmo os que votaram nele, e somente fingiram não ver. Mas o que veio a seguir superou ainda mais, quando pela primeira vez alguém protestou diretamente contra Melo, jogando-lhe notas falsas de R$100,00, semelhante ao que já fizeram com Eduardo Cunha. Tal feito é um fenômeno, já que a população amazonense tem a tradição política de pacifismo: no máximo só fica indignado com políticos mal gestores, mas nunca se manifesta contra eles. Um amazonense quebrar esse protocolo era pra dar orgulho (de verdade) de ser amazonense. Mas a reação que se vê nas redes sociais é absurda, o que faz pensar na máxima o povo tem o governo que merece ser bem verdadeiro em relação ao povo amazonense.

O que surpreende é a quantidade de pessoas no Facebook defendendo Melo: defensores do estabelecido, que estão do lado de (eles sabem bem disso) um político coronelista do período da Ditadura Militar – o perfil político predileto dos direitistas, principalmente os da extrema-direita. Daí os ataques descabidos, ataques feitos da mentira mais sem-vergonha, como imputar criminalidade ao manifestante que jogou as notas falsas de dinheiro, como se jogar notas de dinheiro falso fosse coisa criminosa. Essa cena eu já vi antes, em 2013, contra as revoltas de Junho de 2013 em relação aos Black Blocs, quando vidros de banco viraram mais importantes do que a má gestão dos políticos. Mas ver banditismo (nem o termo vandalismo foi usado, e sim bandido mesmo!) em jogar papéis encima dum político é demais! Próprio de uma sociedade que é pacifista até as últimas consequências, que chega ao ponto de somente se ter o direito de se indignar contra um político que faz má gestão e compra de voto, mas de nunca reagir nem fazer manifestação, nem mesmo o mais pacífico possível, pois será considerado criminoso perante a opinião da Imprensa. Ao político tudo pode, ao cidadão só resta o direito de resmungar sem reagir! E isso não é justo!

Também impressiona a tática aguerrida pelos defensores do estabelecido/ defensores de políticos, de imputar toda e qualquer subversão ao Melo como intriga da oposição, uma chantagem intelectual que insinua obrigação moral de gostar do Melo, senão será acusado de fazer jogo da oposição. Na política amazonense esse papo-furado sempre surge quando a desaprovação da gestão política do parlamentar entra em questão, só que antes o povo não acreditava: hoje estão levando a sério! O povo amazonense simplesmente retrocedeu!

À toda e quaisquer coisa que surja contra Melo, o primeiro e repetitivo argumento é como coisa de Eduardo Braga. Até mesmo a denúncia do Fantástico (quando a Globo decide fazer alguma coisa que presta) foi acusada de armação do Braga! E quando vemos o TRE confirmando a compra de votos, de novo o argumento de armação do Braga! Tipo, o ex-governador criou costas largas! Interessante é que há pouco tempo o próprio povo amazonense lembrava que Melo chegou ao governo sendo vice do ex-governador Omar Aziz, que também foi vice de Eduardo Braga quando governador do Amazonas. Melo é da mesma linhagem política de Braga: são todos filhos políticos de Amazonino Mendes. Hoje parece que o povo se esqueceu disso, ou caiu na cena política que Melo brigou com Braga: cena que já foi teatrada entre Braga e Amazonino nos anos 90. A história e a mentira se repetem, inclusive o brasileiro continua sem memória!

Mas pior que agora a mentira tem uma novidade, que é o acréscimo de uma nova mentira, que Eduardo Braga assumiria poder caso Melo for impedido de governar. Esse equívoco é fruto de uma catarse de ignorância popular surgida deste final de 2014, quando uma ruma de classe média eleitoras de Aércio Neves criou da lâmpada do gênio a idéia de pedir Impeachment da Dilma, acreditando que isso faria o segundo colocado nas eleições assumir poder no lugar – coisa que simplesmente não existe nas leis eleitorais, mas que repetiram o discurso tantas vezes que a população acabou acreditando na existência de segundo colocado assumir poder. Enquanto que na vida real, no que está previsto na lei eleitoral, a única coisa que acontecerá caso Melo impedido de governar será o presidente da Assembléia Legislativa do Amazonas assumir o cargo, ou seja, quem assumiria é Josué Neto. Não tem Eduardo Braga!

Outra tática muito usada e que foi repetida à exaustão foi imputar tudo ao PT: acusa-se o manifestante de ligação com o PT, mesmo sem provas, só porque o deputado José Ricardo fez nada mais que a obrigação dele como representante do povo (foi eleito pra isso, certo?) de defender um cidadão sendo surrado pelos militares da Assembléia Legislativa. Pior: até mesmo quando ficou provado que o manifestante quem fez por conta própria o dinheiro falso, enquanto que os pró-Melo acusavam que o deputado José Ricardo as tinha financiado, usou-se o argumento que tal coisa provaria que tal manifestante premeditou o crime. Mas que crime? Ou seja, criaram uma mentalidade dupla na opinião pública em ver malignidade no tal manifestante de uma forma ou de outra, ou sendo do PT ou sendo manifestante. No final só restou mesmo um único argumento: de presumir maldade pelo único fato de ousar protestar contra a figura intocável de José Melo!

Blogues de reputação no sensacionalismo viraram governistas de Melo da noite pro dia, demonstrando escancaradamente a real intenção política do que deveria ser jornalismo alternativo, mas é pior do que a própria Imprensa televisiva e impresso, ao ponto de inventar factoides e jogá-las pros leitores irresponsavelmente (como de inventar conversas falsas relacionadas ao deputado José Ricardo), tudo pra fazer manipulação política, manipular a opinião popular contra a o próprio povo e fazer o povo se ver forçado a ficar do lado do Melo e apoiá-lo no poder, mesmo revoltados contra sua péssima administração e o curral eleitoral que fez e faz com vários amazonenses.

O pior é que, mesmo que tal manifestante fosse filiado a algum partido, isso não lhe tira o direito à manifestação. Pelo contrário, lhe dá mais dever em se manifestar, pois, sendo uma pessoa de partido, em teoria seria uma pessoa politizada, e sendo politizada, é de dever dessa pessoa fazer algum contra a má política. Se as pessoas reclamam que os partidos não fazem nada… se elas fazem, não seria pra apoiar invés de condenar?

Note que usaram a imagem do PT denegrida pela Grande Imprensa e pelos próprios erros do partido, pra fazer desqualificação do manifestante. Mais que isso: a situação chegou ao ponto em que o PT virou um adjetivo do mal que ninguém quer ser associado, e um adjetivo que associam pra pessoa ser automaticamente denegrida: qualquer desafeto pode ser acusado de petismo. Parece que voltamos no tempo da Idade Média ou da Ditadura Militar, quando pessoas pra se vingar de desafetos acusavam-os de bruxaria ou comunismo.

Além disso, há uma nacionalização do que só deveria dizer à respeito da política amazonense: o discurso que era pra ser sobre a gestão de José Melo vira um Fla X Flu político entre Melo X PT. Pior é que na realidade não há disputa nenhuma do PT na situação, mas bastou agregar um odiado pelos direitistas pra que tal coisa fosse acreditada!

No final das contas, no fritar dos ovos e no cagar dos pintos, toda essa força-tarefa no Facebook e nos blogues lixos como o do Holanda, tem como objetivo desviar o foco, que é a vergonha que Melo passou (e merecido) em receber simbolicamente a mesma grana que gastou pra ser eleito da pior forma, que foi através de compra de votos e curral eleitoral. Se ele fosse inocente, ele teria conseguido provar ao TRE. Como não pode provar nada ao contrário, sua única alternativa é tentar calar manifestações, pagar pelegos pra defendê-lo nas redes sociais e irem à Assembléia Legislativa fazerem cena (e pagarem mico), além de fazer perseguição política com quem protestou contra ele, utilizar o poder judiciário e policial pra fazer busca e apreensão de celular e notebook de manifestante, coisa que remete imediatamente aos tempos da Ditadura Militar. Aliás, quem gosta tanto de acusar os outros de petismo ou de aliança com Braga não deveria fazer a mesma coisa que eles fazem com manifestantes (o PT do governo federal e o PMDB do Rio, que é o mesmo partido de Braga), de acionar justiça, polícia e imprensa pra salvar a imagem pública da revolta popular.

No final, só resta mesmo comentar o povo amazonense que elegeu o Melo, se indigna com os bebês respirando através de garrafa pet e condena quem protesta, tudo ao mesmo tempo! É preciso um psicólogo pra entender a cabeça do amazonense!

Anúncios

Publicado em quarta-feira, 10 fevereiro 2016, em ativismo político, burrismo brasileiro, Conformismo, Conservadorismo, Credulidade brasileira, direita, direitistas, Manaus - Amazonas, Manipulação, pacifismo, Política, revolta popular, Sociedade brasileira e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe seu comentário aqui. Mas ATENÇÂO: não insira nenhum link no seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: