Arquivo da categoria: Preguiça brasileira

Tem ou não tem golpe? Cabo de guerra entre governistas e Imprensa.

Duas coisas me incomodam nessa história do impeachment, e vem dos dois lados. Um são os governistas gritando golpe, golpe, golpe feito disco furado. E de democracia, pois agora defender presidentes virou defender democracia, enquanto eu não vi ninguém dizer que o povo nas ruas em 2013 era ação pura de democracia: em vez disso os mesmos governistas gritaram Vai PM e a própria Dilma só chamou de democrática a manifestação dos coxinhas (direitistas se posando de “ativistas”, e “ativistas” do estabelecido, diga-se de passagem!). Agora ela quer se dizer vítima da mesma Direita que ela abraçou? Me expliquem isso!

Os governistas gritam que é golpe, e a Grande Imprensa, do mesmo lado do PSDB, entra na briga e também está repetindo feito disco furado que não é golpe. Daí coitado do telespectador que fica confuso: é golpe ou não é golpe, cassete? Tem ou não tem carburador? Virou cabo de guerra! Lembrando que a tática da grande imprensa brasileira sempre foi de repetir à exaustão pra forçar o telespectador a aderir à idéia. Parece que só agora a mídia governista (pessoal da internet) entendeu isso e está fazendo a mesma tática de repetir, repetir, repetir. Meu medo é se essa repetência toda uma hora não vá travar o cérebro do brasileiro!

Pois foi lançado uma guerra de idéias entre governistas e Grande Imprensa, as duas querem puxar a população para um dos extremos, enquanto que a parcela da Esquerda Alternativa já disse não vai salvar a Dilma de graça, e a outra parcela da população que morre de horror da política vai continuar fugindo aterrorizada pro WhatsApp ou pro SBT quando for dia de votação.

Se dá mesma forma me irrita governistas atribuirem manter PT no poder de “defesa da democracia” e alimentar o argumento dos extremos-direitistas que logo argumentarão que “se democracia = PT, logo democracia não presta”, me dá extremo nojo ouvir o William Waack do Jornal da Globo repetir que “impeachment não é golpe porque está na Constituição” mesmo os governistas já terem refutado que o Impeachment é constitucional DESTE QUE feita corretamente e aja crime de responsabilidade. A Globo finge que não ouve a refutação e age igual a trolleiro moleque que se resume a repetir a blefação, ignorando a resposta dos outros. Isso não convence ninguém, só irrita!

A outra coisa é a Dilma jogar aos quatro ventos da ONU que está sendo vítima de golpe pelos direitistas (que ela queria que continuassem a serem seus queridos aliados) e a Globo, numa manifestação de pirraça em vez de jornalismo, ficar repetindo o argumento que Dilma estaria fazendo o Brasil passar vergonha. Que tipo de jornalismo fala tal expressão que mais parece um comentário? Logo a Globo, que manipula mas com “elegância” (pra dar impressão de qualidade, sabe?), parece que bateu o desespero e mandaram a elegância praquele lugar!

Contestar impeachment faz parte da liberdade de debate. Se a Dilma quiser contestar impeachment, ela pode sim, ué. Isso não tem nada a ver com “desmoralizar o país” ou fazer “imagem negativa do Brasil”, como a Globo está insistindo. Por acaso impeachment agora virou religião ou futebol, não pode ser contestada? É ditadura do impeachment agora?

Isso porque a Globo ainda aposta na imagem de “imprensa detentora da verdade”, como a população brasileira, paternalista que é, acreditou, na ânsia de existir um “guru” que informe tudo pra eles. Só que a própria Imprensa está se auto-desgastando. Quem contrata um fedelho que nem diploma de jornalista tem (sim, estou falando de Kim Katagury!) merece imagem de “imprensa dona da verdade”? Me expliquem isso!

Enquanto isso não vi nenhum jornal da Globo comentar (aqui jornalista não informa, e sim comenta, e comentário é opinião, e quem dá opinião é o povo, não o jornalista!) que deputados mandando “um beijinho pra filhinha e pra vovó” na hora de votar sobre impeachment não é “desmoralizar o país”, que fazer homenagem à Ditadura Militar e a um militar torturador não é fazer “imagem negativa do Brasil”! Por que será, né? Será porque a família Marinho fazia propaganda de apoio à Ditadura?

O resultado dessa besteira não vai puxar ninguém pra um dos lados, só vai manter mais da metade da população brasileira fugindo da política como o Diabo foge da cruz, fugindo pra faculdade, pro trabalho ou pro WhatsApp. Não adianta televisão ou políticos blefarem que “o Brasil inteiro está assistindo o impeachment” enquanto que as pessoas estão mais preocupadas se vão conseguir pagar as contas do final do mês. Por mais que os partidos políticos tentem vender o impeachment como solução de todos os problemas do Brasil, a população pobre não acredita mais em políticos, imagine se passariam a acreditar em “Michel Temer Salvador”(!) – só a classe média acredita, porque classe média… rsrs… a gente sabe como é classe média brasileira!

Anúncios

Debate sobre desarmamento é complexo.

tiro no péParece que de novo se ressuscitou o debate sobre desarmamento, e de novo o debate é do raciocínio de uma criança de 5 anos e não se chega a lugar nenhum, se repete argumentos toscos e vejo que até a Esquerda não consegue fazer um debate sério. Direitistas vomitam a desculpa que o Estado é irresponsável e que logo a população precisaria ser pró-ativo em exercer a auto-defesa, mas curiosamente não argumenta-se uma mesma pró-atividade em fazer com que o Estado seja mais responsável. Sim, o velho defeito do brasileiro de reclamar que autoridades não prestam, mas deixam as mesmas autoridades estarem lá. Todo mundo reclama dos políticos, mas continuam mantendo eles no poder, votando nos mesmos picaretas de sempre. A própria população se contradiz.

Os argumentos viciado de uns esquerdas dente-de-leite (eu já avisei que a esquerda brasileira está extremamente viciada) é de um sentimentalismo infantil, como “armas impedem da paz´´! Mas paz nós já não temos, cassete! Tem que se explicar as coisas, colocar os fatos e argumentos, e não falar textos “lindos´´ que não dizem coisa alguma!

Como esquerda eu defendo sim o direito das pessoas de se defenderem. Se não vira pacifismo, e pacifismo é discurso da Direita. Mas o problema é: a população tem condição de se auto-defender com armas de fogo?

Leia o resto deste post

Desinformação, demências e paixões sobre discursos sobre redução da maioridade penal.

tiro no péA desinformação permeia geral nas discursões sobre a redução da maioridade penal, que está pipocando em discursões dementes pela internet. Sério, dá a noção que nossa nação está enlouquecendo de tanto argumento besta que estão fazendo! E não só neo-direitistas, pessoas de centro e até esquerdistas, estão fazendo um oba-oba achando que isso vai diminuir a criminalidade dos “dimenores´´. Mas advinhem: não vai!

Eu também já caí nesses papo-furado da redução da maioridade penal: é só lerem os meus posts mais antigos! Foi depois que eu conheci direito a política do país que conheci um monte de coisas que o mundo da televisão não mostra, e que ninguém vai saber ficando isolado dentro de casa! Daí percebi o monte de pegadinhas por trás dessa solução imediatista (solução pra preguiçosos) que é a única que a imprensa, vendida pra partido político, oferece!

E o que mais têm é pegadinha, da forma que estão lidando com a situação, se baseando de estupros coletivos por menores de idade.

Leia o resto deste post

Como fazer uma reforma política que verdade?

urna eletrônica dúvidaO nome desse título deveria ser “Como fazer uma reforma eleitoral de verdade´´, já que o que está sendo mudado não é o sistema político em si, e sim o sistema eleitoral.

A matéria que eu fiz aqui é uma esculhambação à reforma tosca que os deputados federais estão escolhendo pra dizer que estão fazendo uma “reforma política´´. Fruto de duas coisas: congresso conservador e desinteresse da população. Em vez de fazerem uma melhoria concreta, estão fazendo um novo sistema eleitoral pior do que antes!

Como se fosse tão difício fazer uma mudança eleitoral simples, e que realmente mudasse o sistema eleitoral. O problema é que o próprio povo não sabe dizer o que quer, e não procura saber sobre o assunto. Porque o povo só têm apetite pra virais como “Charlie Charlie´´, mas não tem pra pesquisar no Google sobre política! Parte dessa preguiça é até graças ao trabalho estafante mais o transporte público miserável, que leva o povo à fadiga e a mesma fadiga causa tanta preguiça! Por isso que o há o Movimento Passe Livre (que luta pela melhoria do transporte público) e a proposta de reduzir a jornada de trabalho de 8 pra 6 horas.

Se eu fosse fazer uma reforma política/eleitoral de verdade, seria assim:

Leia o resto deste post